Acorda! Ser de um grupo minoritário não exclui teus preconceitos

Hoje eu não vou falar sobre música, nem cultura pop. Peço desculpas para quem esperava alguma coisa mais leve, mas tem dias que uns temas insistem em permanecer na cabeça e precisam ser materializados em texto. E algo que vem incomodando muito são os discursos preconceituosos travestidos nas vozes de pessoas que também são minorias. Sim, ser minoria não te faz menos preconceituoso.

Certa vez, estava conversando com alguém muito próximo, por quem realmente sempre nutri admiração. Ela me falou de como não era atraída por pessoas negras, mas fez questão de enfatizar que isso não era uma questão de preconceito, mas uma questão estética. Fiquei parada, só ouvindo e tentando digerir aquilo tudo. Nada respondi. Acho que minha perplexidade foi grande demais para juntar as palavras e responder, já que a pessoa em questão é parte de grupos minoritários e estava reproduzindo um discurso altamente preconceituoso. Talvez eu apenas poderia ter dito um “vá a merda”.

Se você, leitor, se identifica com a fala dessa pessoa descrita acima, precisa refletir. O que está em pauta não são noções de beleza – e até são, porque o que é o padrão de beleza senão excluir o que “não se encaixa” – mas sim o estigma que se criou em relação à beleza negra. Além disso, precisamos entender que, assim como os grupos de poder, algumas partes das minorias também reverberam falas excludentes em relação a outros grupos. O homossexual que tem preconceito com negros, o negro que tem preconceito com o homossexual, o homossexual que quer distância dos “afeminados”. Enfim, uma coisa não elimina a outra, como pensariam os inocentes na lógica aristotélica.

Uma coisa que sempre digo para meus alunos é: não repitam os discursos dos poderosos. Nós somos minorias. Não se identifiquem com eles. Isso aprendi na vida com meu Pai Tiago e nos livros com o deus E. P. Thompson. A classe operária estava presente em seu nascimento, falou o historiador inglês. Sim, eles estavam lá se vendo nas lutas e nas dificuldades do cotidiano uns dos outros, e por isso se tornaram uma classe. Ser de uma classe, no pensamento thompsoniano, seria se identificar com as experiências uns dos outros e sendo assim, lutar lado a lado. Pensando assim, não vejo como possa existir coerência em discurso excludente partindo de quem vem de minorias.

Se você é homossexual, não vai ser bem visto pelo “grupo” caso seja afeminado, até porque o machismo não passa longe da comunidade LGBT. Lembro do dia em que o namorado de um grande amigo o repreendeu por “dar pinta”, dizendo que ele precisava se comportar como homem. Depois disso quase abri mão da amizade porque não aguentava ver esse amigo em uma relação abusiva. O machismo permeia aquela ideia de que dentro das relações homoafetivas existem “o homem e a mulher”.

Quantas vezes, mesmo sendo parte de minorias, nos pegamos menosprezando as vozes dos transexuais, dos assexuais, bissexuais e tantos outros que lutam ainda por visibilidade dentro do movimento LGBT. SIM, parece o fim dos tempos lutar por visibilidade dentro de um movimento que também quer visibilidade. E partir do princípio de que primeiro precisamos resolver a arrumação de nossa casa para nos fortalecer e enfrentar o mundo.

É um desabafo. Não se engane, ser parte de uma minoria não faz de você uma pessoa menos preconceituosa. Então, preste atenção no que fala, caso não queira se identificar com os grupos de poder, aqueles mesmos que querem silenciar tua voz e cercear teus direitos.

 

O artigo é de total responsabilidade da autora e não representa necessariamente a opinião do veículo.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Cah Uhura disse:

    Realmente, o preconceito começa dentro daqueles que sofrem com as minorias… E parece ser algo tão controverso, já que essas pessoas deveriam lutar por mais respeito e valorização dentro da sociedade. É algo digno de uma profunda reflexão, pois as pessoas que agem dessa forma, parecem não se aceitar como são e isso é lamentável…

    Beijos, meninas, cês mandam bem 🙂
    Vida Longa e Próspera!

    Curtir

    1. Cah Uhura disse:

      Quis dizer sofrem sendo uma minoria, errei a frase ^^

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s