Black-ish is the new “fun-ish”- Black-ish é o novo “engraçadinho”

 

Para quem não conhece, a série de comédia é produzida pela ABC Studios e está no ar desde setembro de 2014. Já tem duas temporadas lançadas, inclusive a season finale da segunda temporada foi exibida no último dia 18.

MARSAI MARTIN, MARCUS SCRIBNER, YARA SHAHIDI, ANTHONY ANDERSON, MILES BROWN, TRACEE ELLIS ROSS
Tradicional família americana.

Pois bem, a série traz a história de Dre, interpretado por Anthony Anderson, aquele lá do Canguru Jack, e de Rainbow, Tracee Ellis Ross (sambadora na cara da sociedade, já já falo mais sobre ela): um casal super-bem-sucedido que tem quatro filhos e vivem num bairro de classe média. Dre se vê na obrigação de tentar resgatar a identidade cultural negra dos filhos, mas acaba ficando entre sua esposa, bastante liberal, e seu pai (Laurence Fishburne, de Matrix e uma pá de outros filmes) bastante retrógrado, antiquado conservador.

O título (Black-ish – Mais ou menos Negro) me chamou bastante atenção e eu achei que a série iria entrar de cara para a minha lista de favoritas. Mas não foi o que aconteceu, por n razões. A série acaba reforçando alguns estereótipos sobre negros e isso me incomoda bastante, mas há um que perpassa a questão de raça e recai sobre a questão da mulher. Rainbow é médica, trabalha em um hospital e não tem um horário fixo, enquanto que Dre é publicitário, recém-promovido a vice-presidente sênior de uma das divisões da agência.

tumblr_ncfv7aYvul1sh0yuao1_500
“Meu emprego é bem importante”

Apesar de ambos terem profissões importantes e de prestígio, todo o serviço doméstico fica a cargo de Rainbow. Então, no episódio 4 da primeira temporada – CRAZY MOM – Dre tenta provar que consegue lidar com o trabalho de casa. O episódio até que inicia com um discurso bem interessante:

“Pra dizer o mínimo, crédito nunca foi fácil de um negro conseguir, quer seja um pedido de cartão de crédito, o nascimento do Rock n’roll, ou a própria civilização”

Aí então, desanda:

“Mas, mais difícil de que conseguir crédito para essas coisas, é conseguir crédito da sua esposa”

O Dre busca uma tapinha nas costas e uma congratulação por cada coisa simples que ele faz em casa que deveria ser obrigação dele junto com Rainbow. No início, Rainbow argumenta que o que ele faz é o mínimo, enquanto ela se mata para deixar a casa, as crianças e o trabalho em ordem, então é aí que o desafio é lançado: Dre vai fazer “o papel” de Rainbow por uma semana.

200 (2)
“Isso é um desafio?”

No desenrolar no episódio, Dre assume a “responsabilidade da mulher” e leva as crianças para a escola, cuida dos seus almoços, de suas tarefas e, óbvio, é aplaudido por essas ações. Mas acontecem problemas e ele se atrapalha todo, reconhece que o trabalho de Rainbow é de fundamental importância e que ela o faz muito bem e blábláblá e… ELA VOLTA A FAZER TUDO SOZINHA! Não se cria um acordo entre os dois nem nada disso, ela simplesmente aceita e diz que “sente falta de fazer as coisinhas e isso tira a culpa de ser uma mãe que trabalha fora”.

giphy
WHAT?

A atriz que interpreta Rainbow, Tracee Ross, estar nesse papel é frustrante. Tracee é incrível! Ela já foi premiada quatro vezes pela NAAP – National Organization for the Advancement of Colored People (Organização Nacional pelo Avanço de Pessoas Negras), cuja premiação é concedida para os afro-americanos mais influentes no cinema, televisão e música. A bicha levou dois prêmios pela série Girfriends e mais dois por Black-ish. Realmente, ela é uma atriz incrível e sua atuação, impecável. Mas, ver uma série que propõe expor algo sobre identidade racial colocando uma mulher negra maravilhosa como ela num papel secundário (não só no episódio em questão) só me leva a crer que o caminho a percorrer ainda é muito longo até que a mulher seja reconhecida não só como a pessoa que deixa o lar em ordem.

200
“Você deveria aprender uma coisa: Eu sou BOA!”

Só para deixar claro: Quando eu critico a posição na qual a personagem é colocada, não critico as mulheres que o fazem por opção (longe de mim). Critico a justificativa para que essa mulher poderosíssima seja conivente com isso, só para sanar a mea culpa de trabalhar fora, enquanto o marido dela não se esforça para ajudá-la. Mas aí tudo bem, afinal, esse é o papel da mulher. Só que não, né mores?

P.S.:Pra quem quiser dar uma sacada na série, a primeira temporada tá na Netflix ❤

P.S.2: Vou deixar uns links aqui pra quem quiser entender um pouco mais sobre a série e suas polêmicas.

1 – ‘Black-ish’ Creator Kenya Barris Defines New Show And Responds To Critics – Kenya Barris, criador de “Blackish”, define seu novo programa e responde às críticas.

2 –  Why I won’t be watching ABC’s “Blackish” sitcom – Por que não assistirei a “Blackish”, sitcom da ABC.

3 – “Blackish” Is the Best Family Show Right Now: Why Aren’t You Watching It? – “Blackish” é o melhor programa de família do momento: Por que você não está assistindo?

O artigo é de total responsabilidade da autora e não representa necessariamente a opinião do veículo.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s