I ain’t your mama boy! – Não sou sua mãe garoto!

Apesar do período conturbado e desesperador da vida, estou aqui hoje pra escrever sobre “Ain’t You Mama” de JLo. Lançada recentemente, “Não Sou Sua Mãe”, em tradução para o português, é bastante carregada de empoderamento feminino. No início do clipe, a cantora, encarnando uma jornalista, faz um discurso feminista dizendo que todos nós sabemos que as coisas estão ruins e que as mulheres têm um grande problema. “Vá à janela. Abra sua porta, coloque sua cabeça para fora e grite…”. A partir daí começa a música em si. Vale a pena dar uma olhada na letra:

“Eu não vou ficar cozinhando o dia todo

Não sou sua mãe

Não vou ficar lavando suas roupas

Não sou sua mãe

Garoto, eu não sou sua mãe”

No clipe, JLo interpreta várias personagens de épocas distintas. Entre elas estão uma secretária dos anos 60, uma operária dos anos 70 e uma funcionária de uma grande corporação nos anos 80. Nessa época, predominava aquele famoso discurso de submissão da mulher, por ela ser emocional, histérica e blábláblá. Interessante perceber por quanto tempo esse discurso perpassa pela nossa sociedade, chegando até os dias atuais mesmo que de maneira mais discreta – ou maquiada. Ela deixa essa relação de submissão clara na letra da música:

“Nós éramos loucos apaixonados

Podemos voltar a ser como éramos?

Quando você ficou tão acomodado?

Porque eu sou boa demais para isso

Eu sou boa demais para isso

Lembre-se disso, hey”

É dever da mulher cuidar da casa e sustentar a atenção do marido. Se não conseguir, será incompetente. A boa e velha “bela, recatada e do lar”. Na letra, a mulher é boa demais para ser submissa ao homem, ao marido. A partir daí, começa a destruição da música.

Usando da histeria, as mulheres realmente gritam nas suas janelas e nas ruas, elas se libertam do domínio masculino e se emancipam. Uma por uma, as mulheres de época se veem livres dessa supremacia masculina. “As coisas estão prestes a mudar por aqui”. No fim do clipe, todas as mulheres, devidamente empoderadas, vão para a rua e sambam na cara do machismo.

Apesar de toda a mensagem feminista da música, co-escrita por Meghan Trainor, “Ain’t Your Mama” foi criticada porque foi produzida por Dr. Luke, acusado de abuso sexual pela Kesha. Em defesa de JLo, Meghan disse que a companheira de trabalho não sabia do envolvimento de Dr. Luke.

Apesar de novo de toda a polêmica, a música é sobre empoderamento feminino SIM. Vai ter samba na cara do machismo SIM. Vai ter independência feminina SIM. E se reclamar, vai ter maiiiisssss!

Dá uma olhada no clipe e saca a destruição coletiva:

 

O artigo é de total responsabilidade da autora e não representa necessariamente a opinião do veículo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s